Portal do Governo do Estado do Piauí
Sábado, 29 de novembro de 2014.

06/09/2012 17:41

Vistoria irá avaliar navegabilidade do Parnaíba em 1.400 quilômetros

Serão elaborados estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental além da elaboração de projetos para a hidrovia.

Josué Nogueira
Rio Parnaíba (Foto:Paulo Barros)

A plena navegabilidade do rio Parnaíba sempre foi um desejo dos Estados do Piauí e Maranhão. Acreditando na potencialidade do Velho Monge, o Governo estadual, através da Secretaria dos Transportes do Estado do Piauí, participa de uma vistoria técnica para inspeção na hidrovia do Parnaíba organizada pelo consórcio empresarial Hidrotopo-Dzeta.

Ao todo, serão quatro dias de viagem, entre os dias 10 e 14 de setembro, por toda a extensão do rio e reuniões nas cidades de Parnaíba, Luís Correia, Teresina, Guadalupe, Floriano, Alto Alegre, Uruçuí e a cidade maranhense de Balsas. De acordo com o projeto desenvolvido pelo consórcio, serão elaborados estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental além da elaboração de projetos de dragagem, derrocamento, sinalização de margem em balizamento de 1.400 quilômetros da hidrovia.

A inspeção tem como objetivo esclarecer as premissas do projeto, definir os demais eventos de acompanhamento e fiscalização e a visitar preliminarmente as prefeituras e empresários locais, visando o engajamento dos mesmos ao projeto da hidrovia. 

As iniciativas privada e pública veem com bons olhos que uma hidrovia com estrutura e condições de percorrer todo o rio representaria desenvolvimento e economia para toda a região. O escoamento da produção industrial e agrícola ganharia dinamismo além de baratear toda a operação que compromete grande parte dos orçamentos de proprietários rurais e de indústrias.


Avanços

Um contrato assinado pela Administração das Hidrovias do Nordeste (AHINOR), subordinada ao DNIT, e o Consórcio Hidrotopo-Dzeta, deve trazer melhorias para a Hidrovia do Rio Parnaíba. A ação, incluída no PAC, tem com objetivo consolidar a navegação na hidrovia pela qual poderá se escoar, por exemplo, a produção de grãos da região dos cerrados, barateando o frete.