Portal do Governo do Estado do Piauí
Quinta, 30 de março de 2017.

13/08/2012 16:30

Piauienses conquistam bronze no Torneio Internacional de Jovens Físicos

A equipe formada pelos piauienses deixou para trás 18 países.

Mírian Teles
Da CCOM, com informações de Rawlinson Ibiapina
Medalha de bronze na Olimpíada de Física (Foto:Divulgação)

O Piauí conquista a primeira medalha na área de Física em uma competição internacional. O feito ocorreu no 25º Torneio Internacional de Jovens Físicos (International Young Physicists Tournament - IYPT), que reuniu 28 países de todos os continentes, no final do mês de Julho, em Bad Saulgau, cidade do interior da Alemanha e que fica a cerca de 700 km da capital, Berlim.

Os representantes piauienses que fizeram parte da comitiva brasileira foram os estudantes Guilherme Ribeiro Moreira e Sebastião Beethoven Brandão Filho, alunos do 2° Ano do Ensino Médio do Instituto Dom Barreto (IDB). Os alunos foram acompanhados pelo professor e coordenador de Física do IDB, Rawlinson Medeiros, um dos líderes e jurado da competição internacional.

Equipe Piauiense

A vaga na equipe brasileira foi conquistada em uma competição nacional, chamada IYPT Brasil, ocorrida na cidade de São Paulo, e que teve sua fase final sediada pela Escola Politécnica da USP e pela Universidade Paulista - UNIP, em  maio deste ano, reunindo cerca de 20 equipes mais bem colocadas de vários estados brasileiros. 120 equipes que se inscreveram previamente na fase classificatória.

A equipe piauiense, Umidade Zero, foi destaque na competição nacional e era composta por Beethoven Filho, Guliherme Moreira, Felipe Celso Pinheiro, Lucas Moreira e Victor Hugo Fernandes, todos do Instituto Dom Barreto. A equipe ficou em 2º Lugar do torneio em São Paulo.

De acordo com Beethoven Filho, membro da equipe piauiense, este título foi conseguido com muito esforço, em que os alunos tinham uma lista com 17 problemas experimentais definidos pela Organização Internacional da IYPT e que deveriam ser apresentados e discutidos na fase final da competição brasileira em disputa com as demais equipes. “Tínhamos que conseguir resolver a tempo a maioria dos problemas e analisar a maior quantidade de parâmetros relevantes que cada um destes exigia”, ressalta. 

O estudante explica ainda que semanalmente a equipe revezava-se entre o laboratório de física da escola e suas casas. “Foram muitas noites dormindo em média entre 4h a 5h e tendo que estudar outros conteúdos, muitas vezes ministrados apenas a nível superior, para chegarem a São Paulo em condições de disputar o almejado título”, conclui.  

Na edição de 2012 e pelo segundo ano consecutivo, a grande vencedora foi a Coréia do Sul. Historicamente, países do leste europeu costumam apresentar bons resultados, com destaque para a Rússia, Polônia, Croácia e República Tcheca. O Brasil foi o único participante das Américas a competir. A equipe formada pelos piauienses  vem surpreendendo o mundo, deixando para trás outros 18  países, conquistando a medalha de Bronze na Alemanha. Foi o melhor resultado do país em todos os tempos.

Na opinião do professor Rawlinson Ibiapina, que acompanhou a equipe na competição internacional, esse resultado servirá como incentivo para outros tantos jovens piauienses e brasileiros, que passarão a acreditar em seu potencial e aumentarão seu entusiasmo e empenho pela Física. “Serão, possivelmente, futuros cientistas e contribuirão para a ampliação de uma massa que ajudará no desenvolvimento de nosso país, que apesar de hoje, ainda ser conhecido como o país do futebol, terá a grande chance de ser apresentado ao mundo como o país da ciência, contribuindo para a melhoria e qualidade de vida de nosso povo”, afirmou o professor.